quinta-feira, 5 de julho de 2018

Poliomielite: 63 cidades baianas não conseguiram vacinar nem 50% das crianças

Sessenta e três cidades baianas estão com cobertura vacinal abaixo de 50% para a poliomielite (ou paralisia infantil). O número representa 15% dos municípios da Bahia e 20% daqueles com o mesmo problema no país: 312. As baixas coberturas vacinais, principalmente em crianças menores de 5 anos, acenderam uma luz vermelha. Ribeira do Pombal tem a menor cobertura no país – 0,50% -, segundo o Ministério da Saúde.
Os dados foram divulgados pela coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde (PNI), Carla Domingues, em reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), na última quinta-feira, e disponibilizados no site da pasta, ontem.
O ministério fala em alerta, pois a doença infecto-contagiosa viral aguda já está erradicada no país. O último caso foi em 1990.
Entre os 63 municípios baianos com baixa cobertura, estão Vitória da Conquista (46,34%), Ilhéus (29,69%), Itacaré (43,7%), Irecê (43,93%), Alagoinhas (44,72%) e Itapetinga (49,82%). De acordo com a Coordenação Estadual de Imunização, da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), esse número potencializa o risco de reintrodução da doença.
A recomendação da pasta é atualizar as cadernetas de vacinação das crianças, já que as doses estão disponíveis nos postos de saúde. Uma oportunidade será na próxima Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, de 6 a 31 de agosto

Nenhum comentário:

Postar um comentário